aqui pelo campo

Respeito & Abuso

Deixe um comentário

My place

Hoje venho aqui responder a um pedido e escrever algo sobre o respeito. Sabem como aprecio as abordagens simples das historias do dia a dia e busco sempre algo que me tenha acontecido para ilustrar aquilo que quero dizer. Sendo esta palavra uma palavra fundamental no jogo das minhas pedras aqui ficam alguns bocadinhos que de tão simples e banais são também tão essenciais.
Agora que estou sozinha, “entre aspas” sei que apenas quando temos a real experiência de viver sozinhos assumimos e somos aquilo que somos, porque não temos qualquer imposição! O que esta erradíssimo porque devemos se-lo em qualquer circunstancia. Eu tenho uma tendência natural para querer agradar e isso dito aqui de alma limpa e nua não é muito abonatório a meu favor porque faz com que me desiluda também com alguma facilidade, mas ao longo deste meu ano muita coisa mudou e essa foi uma delas. Continuar a fazer as mesmas coisas mas traçar para mim uma meta de prazer pessoal, de fazer para mim antes de querer agradar aos outros, noto que me magoo muito menos. Essa é  uma das abordagens do respeito. Respeito por nós próprios, o que considero mais difícil. Aquele que nos obriga a ser aquilo que somos mesmo que a pessoa que está ao nosso lado esteja desagrada com algo que para nós já faz parte da nossa pele!
Não querer mudar  quem temos ao nosso lado é outra coisa fundamental e dificílima de gerir connosco próprios certo? Se a pessoa tem características que nos desagradam em maior escala do que as que nos agradam devemos ponderar seriamente deixa-la e ir á nossa vida. Isto dito nua e cruamente. Se no prato da balança pesam mais as boas do que as menos boas aí, sim acho que é preponderante equacionar o que podemos fazer e ai sim, passa pelo respeito das particularidades de cada um. Existem formas de fazer as coisas subtis e delicadas que mostram aos outros que para nós isto ou aquilo não é muito agradável e ai existe uma questão de respeito mutuo em que nenhum tenta mudar o outro e existe uma forma de se adaptarem um ao outro. Isto passa pelos namorados como pelos maridos como pelos filhos ou amigos.
Agora uma muito pessoal…
Outra situação que a mim sempre me fez alguma irritação de tão simples que é penso que muitos passamos por isso. Sempre tive ao meu lado alguém que acordava a meio da noite e imediatamente acendia todas as luzes no seu caminho. A vida é feita de coisas simples que acumuladas ao longo de anos, não matam mas moem. Sempre fui uma mulher de acordar as escuras, fazer tudo as escuras e deixar que seja o dia a iluminar-me o acordar e convivi uma boa parte da minha vida com alguém que era o oposto de mim. Será que os oposto se atraem realmente??? Fica a pergunta.
Ao fim deste ano e só ao fim de um ano inteiro, começo a valorizar a liberdade. Fui visitar uma amiga, é sábado, lanchei preocupada que tinha de vir embora porque já eram horas num estado ainda formatado da minha vida anterior. É chato isso, não nos deixa desfrutar da forma como desfrutei do momento depois de libertar essa sensação.
Poderia ficar aqui a desfilar um rosário. O respeito passa pelo não permitir ABUSO e nem ABUSAR e isso é outra palavra para outro post.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s