aqui pelo campo

Plein air Sintra 29 Setembro

Deixe um comentário

watercolour journal

Conforme combinado aqui fica o nosso Plein air  de Sintra, dia 29

Atelier PLein air que irá ocupar o dia todo até vocês estarem fartinhos!!

Gosto sempre de começar os meus ateliers com algo inspirador e aqui não podia ser diferente.
Como estou sempre a procurar coisas que acho que se ajustam aquilo que as pessoas sentem e que por vezes lhes pode dar o Click que virem tentar algo de novo aqui fica antes de entrar em pormenores do Plein air propriamente dito que vai ser toda a manhã, a seguir vai ter um almoço muito simpático e depois vamos novamente voltar a pintar. Devo dizer que isto é sem sombra de duvidas o ideal porque uma manhã sabe a pouco e costuma esticar-se até a fome apertar, mas assim estamos tranquilos, e num ritmo muito mais relaxado. Não sei se acompanharam os outros Plein air que fiz anteriormente aqui no meu campo, mas gostava de explicar um pouquinho aquilo que é um conceito mundial e onde em vários países existem até  fundações e festivais  de artistas Plein air (isso inclui todas as técnicas, não só a aguarela em pintura ao ar livre)
A aguarela é por si só um meio simples e prático de fazer um plein air. Primeiro porque pintar paisagem é algo especial quando feito nesta técnica, depois porque as tintas vão e vem no sistema prático e fácil de transportar e por trás disto existe toda uma memoria ligada as caixas de viagem que antigamente eram feitas pelos próprios artistas não havendo na altura estas lindíssimas caixas que há agora já todas montadas. Sou sincera, adoro as antigas e incentivo toda a gente a fazer a sua.

Sintra 2012 Sintra 2012

Ontem um amigo perguntava-me “Porque a aguarela?” e eu quando olho para estas folhas brancas e para o sentimento das pessoas á espera que eu as ensine esta técnica considerada por muitos uma das mais difíceis sinto uma aragem de prazer que me envolve. A aguarela é algo que cresceu comigo, como um sonho que só ganhou espaço para se manifestar quando eu dei certos passos bem difíceis na vida e ai acho que ganhei coragem, como que tendo a premonição de que algo na minha vida profissional iria mudar muito se eu me mete-se nesta empreitada e sendo ela já difícil, parecia que me retraia mas, se isto serve de inspiração aquilo que sinto quando pinto a aguarela é como se me deixa-se levar pela corrente de rio mas suave, prazerosa, é algo fundamental para o sucesso esta sensação de paixão quando fundida no nosso próprio ser. Isto é aquilo que está na essência dos meus workshops. Existem pessoas a pintar muito melhor do que eu mas isso sempre sombra de duvida, mas aliado á pintura está uma forte emoção que vibra, que ilumina.

Penso que nestes atelier não importa propriamente o que se produz, mas a satisfação com que se sai de lá, a envolvencia das paisagens, o respirar, o conversar, a troca de ideias e a gargalhada. Isso é o mais importante. PARALELAMENTE com isso a calma de pintar ao ar livre e o silencio que nos envolve é tão solitariamente delicioso que não tem descrição! Não é o resultado final que é importante, é sim o processo. Pintar ao sol, pintar á chuva, levar cadeira, manta, almofada, pintar no chão, eu sei lá!

É completamente diferente pegar numa foto e pintar através dela do que olhar através dos nossos próprios olhos a natureza em pleno movimento e pintá-la, é muito mais fidedigno e real aos olhos do observador. é “Nós” ali no quadro.

Deixo-vos um vídeo de um festival que aconteceu este ano na Irlanda e que traduz tudo aquilo que disse ate aqui.

É fantástico ouvir os vários testemunhos das pessoas de todas as idades e ver que algumas dizem que mudaram completamente o estilo a que há anos estavam habituados dizendo…dizer -“que se lixe” totalmente encantados e envolvidos  com os pormenores que mais lhes saltavam á vista nas paisagens. É libertador para quem pinta!

Portanto malta , para quem está inscrito ou se quiser inscrever em Sintra

Começamos as 11h no Atelier 4 (é o local de encontro, tomamos um cafezinho, vamos ter durante a manhã uma espécie de aula de observação ao ar livre e isso implica, cores, estilos de técnicas que podemos aplicar na prática e a seguir ao almoço vamos pintar um Spot escolhido por cada um aqui numa zona apontada por mim e vai ser um dia em grande aviso-vos já.

Pormenores técnicos:

Levem aquilo que acharem necessário para o vosso conforto, almofada, cadeira, cavalete…(inspirem-se neste vídeo) Não liguem a quem olha e sintam-se tranquilos se abordados por transeuntes porque isso é inevitável a quem pinta ao ar livre, atrair curiosos, faz parte…

Levem calçado confortável e chapéu, e casaco…estar parado faz-nos arrefecer.

Levem uma garrafa de água de litro e um frasco vazio bem como um pedaço de pano para limpezas.

Levem algo para trincar pelo meio mantém a ideias mais activas sobretudo se for doce!!

Levem uma prancheta (A Staples tem uma óptimas e baratas em cartão prenssado com um buraco para a mão e é super prático para pintar ao ar livre.

e…vamos a isso.

watercolour journal

watercolour Journal
Material para quem vai participar pela primeira vez (os outros já sabem )

Aguarela Uma caixa de agurelas das Winsor & Newton (se vão meter-se a pintar a agaurela não comprem material barato, esqueçam isso. Faz toda a diferença uma tinta boa e um má)
A Winsor tem umas caixas de 10 pastilhas económicas que que falham no Preto portanto aconselho-vos a comprar o preto em tubo, ou em pastilha que substituem uma das cores da vossa cvaixa que vos inspirem menos.

Pinceis Cotman ou Da Vinci são os mais económicos e são numa gama de estudantes bons. Comprem um redondo gordinho…ai um 10 ou 13 e um redondo mais fino ai uma 4 ou 6 mas aviso já que a numeração as vezes depende da marca portanto usem os vossos olhos…uma gordinho e uma magrinho e basta para começar,ok.

Papel. para pintar ao ar livre eu prefiro os cadernos de capa preta da Winsor & Newton com espiral próprios para aguarela porque me permite ir pintando sempre ali sem folhas soltas, mas isso é muito do gosto pessoal de cada um e se tiverem uma prancheta com mola podem bem levar um bloco normal e ir tirando as folhas ou ate pintar no próprio bloco. Procurem para começar o papel pouco granulado e grosso. 300g ou um pouco abaixo serve, menos nao! Papel barato de aguarela quando se pinta larga pelo e é muito feio e o mais fino também…

Para qualquer duvida tem aqui os contactos:
Email: gracaempaz@gmail.com
Tlm: 918145817

Tlm da Luz Vasconcelos: 964142256

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s