aqui pelo campo

"Nem todos os caminhos são para todos os caminhantes." Gothe

Deixe um comentário

precious

Será verdade o que dizem sobre prazer e dinheiro? Que aquilo que nos dá mais prazer não dá dinheiro? Batalho muito na minha vida para fazer valer esta sinceridade na minha vida.
Dizem os Maias que, se se nascer com uma capacidade em relação a algo, uma zona de génio, é um crime não fazer uso dela na tua vida diária. Quer seja desenhar bem, ser um bom pasteleiro ou um bom gestor. Este pequeno video fala-nos precisamente de aprendermos a dizer NÃO ás situações que nos sobrecarregam, as quais temos dificuldade em nos negarmos, mas que é imperativo que o façamos. Dizer SIM áquilo que nos fazer ficar em “pulgas” é a melhor opção.

Gosto muito de um dito de Goeth (aliás não apenas um, mas todos) que é o seguinte:

“Quando uma criatura humana desperta para um grande sonho e sobre ele lança toda a força de sua alma, todo o universo conspira a seu favor.”


Quando no decorrer da minha vida profissional me deparei com uma situação idêntica a repetir-se algumas vezes, o sitio onde eu trabalhava ao fim de algum tempo fechava, muito embora eu tenha estado lá alguns anos comecei a achar que era altura de dizer NÃO.  Na ultima vez que isso aconteceu,  peguei no carro e no caminho para casa decidi que era altura de deitar as mãos aquilo que eu sabia realmente fazer. Curiosamente não foi a altura em que eu realmente enveredei por aquilo em que sou realmente boa, e só bastantes anos mais tarde o viria a descobrir. Trabalhei muitos anos em paralelo com o meu marido em mobiliário, mas como um artista geralmente não é um bom gestor e como me tocava a mim fazer toda essa parte o nosso negócio nunca conheceu um sucesso tão grande como eu desejava. Mais razões juntas a essa mantiveram-me ali anos a lutar e a aprender que um dia eu iria ter de dizer basta. basta porque? Porque não estava a fazer aqui que me fazia dizer “Hell Yeahhhh!!”…
Quando assumi a minha própria força, fiz mudanças radicais e segui aquilo que eu realmente amo fazer, ainda dei mais umas voltas mas não tardava muito a conhecer aquilo que viria a ser um deslumbramento na minha vida. Tudo isto tem imensas condicionantes atenção! Se querem viver sem suar quando chegam ao final do mês esqueçam porque para isso tem de trabalhar o triplo. Aqui ganhamos a noção de MERECIMENTO quando para por vezes superarmos meses piores temos de contar com a ajuda de um pai ou de uma mãe. Quando no meio disto tudo os filhos recorrem a nós numa urgência e não podemos dizer que não, conhecemos outra parte deste processo.  A FORÇA e também a RESILENCIA e sobretudo a HUMILDADE, porque pedir é sempre um vergar, um baixar a cabeça!  Ao passar-mos por todas estas situações que todos passamos sem excepção, vamos aprender a lidar com o MEDO e a ANSIEDADE e por vezes o PÂNICO, se pelo meio nos chega uma surpresa das finanças e temos de pagar algo completamente fora daquilo que estávamos a contar.
Como eu dizia, só mais tarde aos meus 45 anos iria descobrir aquilo que realmente me faz dizer Hell Yeahhh. Pintei imensos quadros, vou contar, sempre com algum desconforto, um peso de obrigação, um não estar lá ainda. Reuni um monte pessoas á minha volta com quem partilho todas estas experiências e estabilizei minha carência de interior ao reaver AFECTO, HARMONIA, RETORNO, RECIPROCIDADE, SEGURANÇA, CARINHO, tudo aquilo que cabe num enorme buraco vazio que hoje plantei aos meus filhos e que é a separação dos nossos pais. Esses buracos são menos perigosos do que o poço sem fundo quando não agimos de todo, a a possibilidade de ter de explicar um dia porque não o fizemos.  No meio de tudo isso veio então aquilo que iria dar-me a certeza de querer largar tudo para fazer apenas aquilo. Hell Yeahhhh…consegui! Pintura a aguarela. é uma velha e tenra paixão que sempre guardei mas que agora veio á tona no meio das minhas emoções com um tal fulgor que me vai fazer mudar muito a minha óptica em relação á, valorização do trabalho que faço, da forma como o vendo e exponho e muito mais. Aqui conheci aquilo que quero trazer até mim e que será através do que amo na vida emocional e profissional. Alguém que nos respeite, aceite, envolva, devolva, e vibre. Algo que me faz sair de mim enquanto trabalho, que me faz trabalhar a qualquer hora sem conhecer um fim de semana ou ansiar pela sexta feira porque o trabalho é prazer e o prazer é viver. Bem nenhum que possamos ter vale o prazer de sentir tudo isto diariamente e poder transmiti-lo aos nossos filhos como valores principais de uma vida que se quer fácil de viver. O resto vem por si.
Em resposta á Ana  aqui fica o outro lado da moeda! Obrigado.

watercolour studies

watercolour suties

Flowers field!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s