aqui pelo campo

As minhas memórias, quais são as vossas?

2 Comentários

DSC04636

Deixo-vos aqui um livro magnifico, igual a cada um de nós que me foi oferecido pela Barbara Jordão. Estou a adorar, e a rir-me sozinha enquanto o leio com algumas passagens deliciosas, portanto aqui fica uma sugestão para ir sair e trazer um livrinho que sabe tão bem!
Deixo aqui uma sugestão inspirada na escrita da Barbara que me fez viajar nas minhas próprias memórias. Quais são as vossas?

Aqui ficam as minhas.
Lembro-me de ser muito pequenina, na casa dos 3 anos e ir á quinta do meu tio Manuel que tinha um gigante (para mim pelos menos) galo de Barcelos onde eu me encavalitava, lembro-me da piscina desta mesma quinta e de eu tomar banho na dos “cães” e de estar sentada na beira da piscina com a minha mãe a segurar-me nos joelhos e eu a ver as cabeças das pessoas a boiar na agua azul. Lembro-me da casa na minha tia Fernanda, e do enorme corredor de chão de madeira gasta e das portas enormes a todo o comprimento do corredor e de nessa mesma casa, me deliciar no pequeno estúdio de fotografia do meu tio que se escondia por trás de uma cortina branca, lembro-me do meu primo Eduardo tirar as asas a uma mosca, a meter dentro do pão e a comer enquanto a cara dele ENORME mastigava maldosamente em frente á minha e de o achar uma atrasado mental (ainda hoje acho!!). Lembro-me de uma quinta na Povoa do Lanhoso e da luz do fim de tarde numa sala de quinta onde não havia móveis, que me lembre, e de ver um primo que desconhecia a passar, muito alto (eu era pequenina) e de o achar giro…era loiro e simpático!!, lembro-me de ele me deixar andar em cima de um GIGANTE cavalo preto, e de eu morrer de medo. De me deixar guiar um tractor e de eu ter passado com, ele por cima da perna do meu irmão que felizmente se enterraram na terra mole!! Lembro-me das festas de Ponte de Lima e das idas nocturnas á quinta do meu tio, que era uma solar enorme e de termos de ir a pé porque o carro não passava na rua e de ele ter um Fiat 124 sport cor de laranja! Dos jantares serem de lampreia e do meu ser uma desilusão de queijo porque eu detestava lampreia, mas também me lembro da ânsia com que corria para a casa da caseira por baixo da do meu tio de entrar e ver o homem sentado ao fogo e da mulher abrir uma arca GIGANTE e tirar uma naco de pão que fazia as minhas delicias ao que se seguia sempre uma ida aos pintainhos e aos coelhinhos. Lembro dessa quinta ter no andar de cima uma escadaria que terminava em duas enormes estátuas de mulheres nuas com tochas nas mãos. Lembro-me de estar do João de Deus (a minha escola) e de ter o trauma de sentir o cheiro á hora da saída quando o lanche era leite quente e pão com marmelada e tal era o meu desespero que, uma dia  escondi o pão debaixo da camisola e saí surrateira para ir ter com o meu Tio Manuel que me esperava excepcionalmente nesse dia á porta da escola onde ao fundo podia ver o seu Volkswagen carocha branco, e de ele me perguntar o que levava eu debaixo da camisola e eu ser desmascarada pela directora!!.Lembro-me da sala da entrada do João de Deus em que a toda a volta de uma sala circular havia caixas de madeira onde depositava-mos os nossos sapatos e calçava-mos uns da escola. Lembro-me de um dia ir ver um outro carro dele, todo sport, azul porto em que, quando se abria a porta se acendiam luzes pirosamente verdes!! Lembro-me de ir para Moledo de fim de semana e sair pela janela do quarto para ir ter com os amigos á noite e de voltar a entrar de sapatos na mão. Lembro-me de viver apaixonada por uma rapaz que era muito mais baixo do que eu e de, a minha primeira grande paixão ser o meu professor de natação na piscina de Leça, que era na altura acho eu, 30 anos mais velho do que eu e de ter contado em confidência á minha mãe e ficar desolada quando o meu irmão mais tarde gozou comigo sobre isso denunciando que ela lhe contara a sua preocupação!!…lembro-me dos miúdos parvos na escola que se metiam com as meninas que começavam a mostrar os seus minúsculos dotes e de me sentir revoltada e envergonhada. Lembro-me de ver o meu pai pôr as malas á porta de casa, e de me fechar no quarto e de ele entrar e me abraçar, lembro-me do silencio que pairava na casa nesse noite quase ensurdecedor. Lembro-me de estar na loja do meu pai a empacotar discos em embrulhos elogiados e das bolachas de manteiga que fazia parta lhe ir levar! Lembro-me de chegar a casa ansiosa de ver se a minha avó tinha feito aletria a boiar em leite que eu delirava! Lembro-me de  a ver a tocar viola pela sala e a dançaricar para se meter connosco. Lembro-me da primeira vez que cozi na maquina de costura ensinada por ela, e da agulha que me atravessou o dedo! Lembro-me de chegar a casa desesperada de sede e ir directa á primeira garrafa de agua que encontrei e de ter bebido agua com lixívia…Lembro-me de namorar nas escadas do meu prédio sempre com o mesmo namorado a quem chamavam “cabeças” no Foco! Lembro-me das festa do Foco sábado á tarde em que passávamos horas a engendrar as roupas, e de fixarmos bainhas de calças novas com fita cola!!. Lembro-me de estar no parque da minha casa na noite de S, Joao a fazer balões de papel de jornal de os ver subir no céu! Lembro-me de andar maravilhosamente de patins e de uma dia uma amiga que eu tinha, um pouco abrutalhada pegar num arame e ao brincar com ele ter raspado no pescoço da minha irmã e de eu lhe ter dito furiosa que nunca mais ela iria a minha casa brincar!!. Lembro-me de estar a brincar com um jogo de química e de ter provocado uma explosão em casa de uma amiga filha de uma mãe conservadora que perseguia a mulheres a dias!! Lembro-me de estar em casa de outra amiga a pintar e de ter deixado cair um frasco de Ecoline e ter sujado a parede toda e lembro-me do pânico com que ficamos as duas a olhar para a parede, salvas pela empregada que por acaso era uma boa antipática!! Lembro-me de uma rapaz que se apaixonou por mim e de quem nunca fui capaz de gostar…lembro-me das minhas vinda para S. Paio de Antas para casa de uns amigos do Porto,  na Guilheta e de dormir-mos todos juntos na sala tal era o frio, e de acordar com uma gigante dor de garganta e de nesse mesmo fim de semana ter visto pardalitos mortos em cima da maquina da roupa e me ter desiludido por ter sido o meu namorado a matá-los. Lembro-me das vindas para S. Paio em que ao passar-mos no mercado da povoa o Nuno pós a mão de fora do carro e roubou a uma senhora uma saco de deliciosas laranjas e de termos todos ficados parvos com aquilo que ele tinha feito!!!..fico por aqui porque senão prego-vos uma “seca”

Que tal contarem as vossas! é como re-escrever a vida!

2 pensamentos sobre “As minhas memórias, quais são as vossas?

  1. Olá Descobri o seu blog à pouco tempo e revejo-me em tanta coisa que nem imagina! Felicito-a pelo bom gosto dos seus trabalhos, pelo bom gosto dos seus gostos mais particulares.Tenho no entanto uma pergunta para lhe fazer,após ter descoberto o seu blog andei a "cuscar" e fiquei ainda mais maravilhada com tudo o que li e vi (lindas fotos),mas não consegui entender porque deixaram a vossa casa do Castelo tão fantástica e tão cheia de vós! (se não me quiser responder compreendo e não recrimino),mas fiquei com curiosidade! Beijos do tamanho do Mundo com votos de muita inspiração, vou continuar a segui-la e a amealhar para lhe comprar um quadro!Cumprimentos Cristina

  2. Olá Cristina! Obrigado pela visita aqui pelo campo! A pergunta que me faz é de simples resposta! Estou separada! uma casa faz-se onde eu estiver! Um beijinho e volta sempre. Graça

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s