aqui pelo campo

Á flor da minha pele

1 comentário

DSC07142

Com as mãos sujas de tinta, interrompo o meu trabalho enquanto os desenhos secam para registar os cheiros e os sons.
Dia de folga infantil, trago comigo um companheiro que desfruta de um dia de bom caminhar.
Logo cedo, pelas ruelas de pedras humidas que brilham ao sol os restos de tempestade e o céu, que baixo se cobre de fumo das queimadas, um cheiro que que nos invade lembrando-me aquilo que jamais esquecerei. O estar á hora certa no sitio certo onde quero mesmo estar.
Existe um silencio no ar, algo confuso que não sei se de fora ou de dentro de mim…deixo-me ir.
Á minha volta dormem os cães enquanto escrevo, a roupa seca ao sol debaixo do pinheiro rodeada das flores cujo cheiro liberta.
A vista, essa é imponente e magestosa e, por aqui e por ali, das casas sai um cheirinho a brasa misto com estrugido que no Porto me incomodava logo pela manhã, aqui enquadra-se.
Perco a vista de montes que no seu distar se tornam quase céu. Ás pombas esvoaçam este sol e os meus desenhos espalham-se por toda esta quinta que, de anos de solidão e visitas fugazes se encheu de cor e vida e de um coração que triplicou, se desdobrou e floresceu!

DSC07130DSC07148DSC07161
DSC07157
DSC07162

Um pensamento sobre “Á flor da minha pele

  1. Muito bom…, postar um comentário era estragar a paz e o silêncio q se sente e respirar.O resultado dessa simbiose é extraordinária.Um abraçoBeta

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s