aqui pelo campo

No meu elemento*

4 Comentários

DSCF9896

Estou aqui ao computador há algum tempo a fazer, rigorosamente nada!!Acho que nem sei o que isso é na maior parte das vezes! O youtube esta irritante de lento…o site do Antonio Marras que adorava ver está a bem dizer igual…duas de treta com a minha mãe e as novidades natalícias da família do Porto e pus-me a escrever, um bocado indisposta com problemas num dente que teima em nao querer ser fechado e por isso estou chateada!
Foi um Natal com uma caracteristica muito especial que jamais esquecerei, não houve pressa, para nada. Ouve tempo para caminhar logo cedo na véspera e aquecer a cara com um sol de inverno maravilhoso, vir para casa iniciar as deliciosas iguarias adaptadas as nossas necessidades porque detesto exageros característicos do Natal em que queremos tudo e afinal sobra imenso. Correu-me lindamente, nao sei porque cozinhei divinamente e apercebi-me que o meu frigorifico estava e esta farto de tudo..dado!! As rabanadas foram feitas com ovos acabados de apanhar pelo sr. Manuel que agradecido pelo presente da neta me queria encher a cozinha á viva força estando ela já a transbordar de toda esta fartura que o campo nos teima em oferecer, por fim, desanimado por eu aceitar o frango que ele me queria dar com a condicionante de ter de ser eu a matá-lo, mas tendo eu recusado tal tarefa, foi ao galinheiro e presenteou-me com aquilo que acho mais valioso aqui no campo. ovos fresquinhos de gemas bem amarelas, deliciosos e a agradecer.
Ouve tempo para me por bonita, tarefa que nao descuro e ir dar uns beijinhos aos amigos que ao longo deste ano nos acompanharam sempre com carinho numa convivência que valorizo acima de tudo num dar sem receber. Vi as casas aprumarem-se para a chegada dos parentes distantes, os avós e pais que saudadosos de os ter distantes e mesmo com pouca saude tudo fazem para abrilhantar as casas e isso comoveu-me! Existe uma nostalgia em tudo isto e uma vida especial por aqui, de uma simplicidade que adoro. Tem brilho. Beijinhos distruibidos e chegada a casa da algazarra dos homens que se reunem enquanto as mulheres em casa preparam os repastos porque esperam e se vão aquecendo com o copito e duas sobre caça, comecei o jantar intercalado com as prendas que o A. nao resistia a querer abrir e que sendo Natal ,e, para eles, nao me apeteceu recusar, e foi vê-lo a tocar guitarra com o jeitinho da perna e palheta e tudo. Livros bons ofereceram-se, e um deles vai ser para eu ler, ou seja já o espreitei e amei. O Elemento de Ken Robinson. é super interessante ouvi-lo no Ted ou apenas ouvi-lo falar em qualquer parte, sobre a criatividade e  muito mais. Sou fã e numa volta habitual na Fnac, por percursos literários que não costumo percorrer dei de caras com o Sir e não resisti a traze-lo.
A noite acabou com os miúdos exaustos e eu silenciosa em frente á lareira enterrada no puf que o Tiro reclamou como sendo seu e pensei, “delicioso Natal sem azáfama, sem barulho, sem confusão sem..,.Zzzzzzzzzzz

DSCF9889

4 pensamentos sobre “No meu elemento*

  1. OLáAdoro o Natal assim, sem excessos!!!Bom final de ano para você e sua família, neste lindo recanto em que moram.Abraços

  2. zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz Adormeceste do puff?Mãe

  3. é tão bom, ler este post nesta quadra. Tão bom, mesmo BOM!.-Feliz Natal, é verdade, Natal é todos os dias.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s